Terça-feira, 11 de Outubro de 2011
desconjunções e vidros duplos

 

E agora digo o quê,

tão conjuntada?

Agora que a memória e a palavra

se afinaram em tudo?

Falar de noites calmas de veludo

como esta, e no silêncio?

 

Tenho janelas duplas no meu quarto,

e nem o insensato som dos carros,

nem o tom da igreja

aqui ao lado, se as fecho totalmente.

 

Mas desafinação: o mais urgente,

agora que a memória mais me falha,

agora que a palavra me abandona

como calor fingido,

e até mesmo a gaveta: bem fechada

em frente à minha cama.

 

Ah! que se eleve a meia

de seda muito preta

da gaveta,

desconjuntando tudo pelo tecto

 

Que o frio invada aqui,

um icebergue fundo de desvio

e a palavra a quebrar-se,

congelada:

um toque de cristal,

ideia de lareira bastaria.

Ou um pequeno sol.

Uma luva bastarda.

 

E o vidro mais normal

que deixasse passar insensatez,

que deixasse passar melancolia

e a desconjunção do universo.

 

As linhas todas tortas outra vez,

e a meia muito em seda e muito preta,

espreitando da gaveta,

enovelada e do avesso

em verso

 

***

 

ana luísa amaral

 

*


lido em: Entre dois rios e outras noites

publicado por carlossilva às 11:12
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 2 de Novembro de 2010
os perigos do êxtase

 

Cozer um ovo:

êxtase maior.

Os minutos de cor:

um desafio.

 

E a cor

que a casca ganha

tão gratuita

e bela

 

desfaz-se perante

a gema,

monótona, amarela

 

quando o real

invade

e se estilhaçam luzes

da cozinha

 

***

ana luísa amaral

lisboa, 1956

 

******************


lido em: Entre dois rios e outras noites

publicado por carlossilva às 09:51
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 10 de Outubro de 2009
anjos caídos

 

Neste palco de sol,

de repente:

os teus lábios:

anjos caídos mas abençoando

 

Cada curva e tremura

dentro do nervo exacto

da memória

 

Por esses lábios

eu faria tudo:

 

rasgava-me de sangue

e inocência,

partia com as mãos vitrais

e estrelas,

desintegrava o sol

 

Já não anjos caídos

os teus lábios,

mas deuses transportados

pelos meus

 

***

Ana Luísa Amaral

 

****************************

 



publicado por carlossilva às 08:57
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 12 de Setembro de 2009
lua de papel

 

Se eu cantasse o amor sem resultado ou causa,

seria mais sensata: chegava-me uma lua de papel,

um par de braços lisos, conformados

 

Se eu cantasse o amor sem causa ou resultado,

tinha muito mais paz: fingida em luas-cheias,

seria mais sensata e decerto poeta bem melhor

 

Assim o que me resta é lua cheia a trans-

bordar de tridimensional. A paz a falhar toda

e eu resolvida em causa a insistir papel. E amor.

 

***

Ana Luisa Amaral

 

**********************************

 

 



publicado por carlossilva às 18:38
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 21 de Outubro de 2008
um céu e nada mais

Um céu e nada mais - que só um temos,
como neste sistema: só um sol.
Mas luzes a fingir, dependuradas
em abóbada azul - como de tecto.
E o seu número tal, que deslumbrados
eram os teus olhos, se tas mostrasse,
amor, tão de ribalta azul, como de
circo, e dança então comigo no
trapézio, poema em alto risco,
e um levíssimo toque de mistério.
Pega nas lantejoulas a fingir
de sóis mal descobertos e lança
agora a âncora maior sobre o meu
coração. Que não te assuste o som
desse trovão que ainda agora ouviste,
era de deus a sua voz, ou mito,
era de um anjo por demais caído.
Mas, de verdade: natural fenómeno
a invadir-te as veias e o cérebro,
tão frágil como álcool, tão de
potente e liso como álcool
implodindo do céu e das estrelas,
imensas a fingir e penduradas
sobre abóbada azul. Se te mostrasse,
amor, a cor do pesadelo que por
aqui passou agora mesmo, um céu
e nada mais - que nada temos,
que não seja esta angústia de
mortais (e a maldição da rima,
já agora, a invadir poema em alto
risco), e a dança no trapézio
proibido, sem rede, deus, ou lei,
nem música de dança, nem sequer
inocência de criança, amor,
nem inocência. Um céu e nada mais.

 

***

Ana Luísa Amaral (1956)

 


lido em: Às Vezes o Paraíso

publicado por carlossilva às 14:16
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 30 de Junho de 2008
rimas, manhã, e sem estereofonia

Não se me dava que daqui a bocado,

pela manhã, me telefonasses e,

ignorando-me a voz de sonho errado,

dissesses devagar "gosto de ti"

 

E me acordasse o toque de telefone:

relâmpago de som, eléctrico, ou

eu, como orfeu, ouvindo o gramofone

que eurídice, a velhaca, lhe deixou

 

Muito mais bom que orfeu seria a tua

voz a romãs (ou figos, ou amoras),

daqui a unha ínfima de lua,

ou seja, mais ou menos quatro horas

 

É que não se me dava, let alone

ter que estender a minha mão e com

ela pegar em ti ao telefone

e ouvir "gosto de ti", era bem bom

 

Ma esse sonho fica-se no meu

desejo a nada, e nem o telefone

me soa a teu futuro. Vem, Orfeu,

trá-la de volta...

                            Ou traz o gramofone -

 

***

Ana Luísa Amaral (1956)

Lisboa (Portugal)


lido em: Entre dois rios e outras noites

publicado por carlossilva às 00:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

mais sobre mim
agenda
18 de abril 2013 19 de abril 2013
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

desconjunções e vidros du...

os perigos do êxtase

anjos caídos

lua de papel

um céu e nada mais

rimas, manhã, e sem ester...

arquivos

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

a m pires cabral(4)

adelia prado(5)

adilia lopes(8)

al berto(6)

alba mendez(4)

albano martins(4)

alberte moman(8)

alberto augusto miranda(9)

alexandre teixeira mendes(11)

alfonso lauzara martinez(8)

alice macedo campos(13)

alicia fernandez rodriguez(5)

almada negreiros(4)

amadeu ferreira(8)

ana luísa amaral(6)

ana marques gastao(4)

andre domingues(5)

andreia carvalho(4)

antonio barahona(5)

antonio cabral(5)

antonio gedeao(5)

antonio ramos rosa(7)

anxos romeo(4)

ary dos santos(5)

augusto gil(4)

augusto massi(4)

aurelino costa(11)

baldo ramos(6)

bruno resende(5)

camila vardarac(9)

carlos drummond de andrade(5)

carlos vinagre(13)

cesario verde(4)

concha rousia(4)

cristina nery(5)

cruz martinez(9)

daniel filipe(5)

daniel maia - pinto rodrigues(4)

david mourão-ferreira(6)

elvira riveiro(8)

emma couceiro(4)

estibaliz espinosa(7)

eugenio de andrade(8)

eva mendez doroxo(8)

fatima vale(10)

fernando assis pacheco(4)

fernando pessoa(5)

fiamma hasse pais brandão(5)

florbela espanca(7)

gastão cruz(5)

helder moura pereira(4)

ines lourenço(6)

iolanda aldrei(4)

jaime rocha(5)

joana espain(10)

joaquim pessoa(4)

jorge sousa braga(6)

jose afonso(5)

jose carlos soares(4)

jose gomes ferreira(4)

jose luis peixoto(4)

jose regio(4)

jose tolentino mendonça(4)

jussara salazar(6)

luis de camoes(5)

luisa villalta(4)

luiza neto jorge(4)

maite dono(5)

manolo pipas(6)

manuel alegre(6)

manuel antonio pina(8)

maria alberta meneres(5)

maria do rosario pedreira(5)

maria estela guedes(7)

maria lado(6)

maria teresa horta(5)

marilia miranda lopes(4)

mario cesariny(5)

mia couto(8)

miguel torga(4)

nuno judice(8)

olga novo(17)

pedro ludgero(7)

pedro mexia(5)

pedro tamen(4)

raquel lanseros(9)

roberta tostes daniel(4)

rosa enriquez(6)

rosa martinez vilas(8)

rosalia de castro(6)

rui pires cabral(5)

sophia mello breyner andressen(7)

suzana guimaraens(5)

sylvia beirute(11)

tiago araujo(5)

valter hugo mae(5)

vasco graça moura(6)

virgilio liquito(5)

x. m. vila ribadomar(6)

yolanda castaño(10)

todas as tags

links
leitores
pesquisar
 
visitas
Free counter and web stats
blogs SAPO
subscrever feeds