Sábado, 12 de Janeiro de 2013
el día que milú inventó a tintín

 

Mon semblable, mon frère

Baudelaire

 

He sido un árbol que crece hacia el origen.

      El viejo roble erguido sobre su propria sanfre.

                Porque es sólo de ida el recorrido,

                la soledade me viene siguiendo desde lejos.

Entonces tú la arrancas con los dientes.

Tu asombro persistente me rescata,

                             tu latido uniforme de certeza.

 

Miro la playa inmóvil de mi nativa Ítaca

los viñedos benéficos salpicando la tierra

miro mi casa azul en la colina

                gota de agua salada sobre el polvo.

Está muda, ya todos se han marchado

los años han barrido el rastro de mi espada.

Menos tú, dulce Argos,

               hermano, semejante,

               pequeño compañero.

Menos tú que me esperas solo, para morir

         igual que un semidiós que sabe que envejece.

 

Somos el ismo aliento en cuerpos simultáneos.

Los campos de mi alma yacen bajo tu pelo.

                                   Ladras mi mismo idioma.

Hasta mi hambre compartes porque te pertenece.

 

No me pidas que olvide tus dos ojos de lago.

Dime una última vez que existe la pureza.

 

***

 

raquel lanseros

 

*

 

o dia em que milú inventou tintim

 

Meu semelhante, meu irmão

Baudelaire

 

 

   Fui uma árvore que cresce para a origem.

        O velho carvalho erguido sobre o próprio sangue.

                   Porque é só de ida o percurso,

                   a solidão vem-me seguindo de longe

Então tu a arrancas com os dentes.

Teu assombro persistente me resgata,

                            teu latido uniforme de certeza.

 

Olho a praia imóvel da minha nativa Ítaca

os vinhedos benéficos salpicando a terra

olho minha casa azul na colina

                   gota de água salgada sobre o pó.

Está muda, já todos se foram embora

os anos varreram o rasto da minha espada.

Menos tu, doce Argos,

              irmão, semelhante,

              pequeno companheiro.

Menos tu que me esperas só, para morrer

          tal como um semideus que sabe que envelhece.

 

Somos o mesmo alento em corpos simultâneos.

Os campos de minha alma jazem sob o teu cabelo.

                                       Ladras meu próprio idioma.

Até minha fome partilhas porque te pertence.

 

Não me peças que esqueça teus dois olhos de lago.

Diz-me uma última vez que existe a pureza.

 

*

[trad: cas]


lido em: Croniria

publicado por carlossilva às 12:58
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
agenda
18 de abril 2013 19 de abril 2013
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

fogo e água

pára-me de repente o pens...

si digo mar

infância

trapo de voz representa o...

nana para gatos a punto d...

sou uma coluna crematória

dois poemas

nacín vello de máis

uelen

arquivos

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

a m pires cabral(4)

adelia prado(5)

adilia lopes(8)

al berto(6)

alba mendez(4)

albano martins(4)

alberte moman(8)

alberto augusto miranda(9)

alexandre teixeira mendes(11)

alfonso lauzara martinez(8)

alice macedo campos(13)

alicia fernandez rodriguez(5)

almada negreiros(4)

amadeu ferreira(8)

ana luísa amaral(6)

ana marques gastao(4)

andre domingues(5)

andreia carvalho(4)

antonio barahona(5)

antonio cabral(5)

antonio gedeao(5)

antonio ramos rosa(7)

anxos romeo(4)

ary dos santos(5)

augusto gil(4)

augusto massi(4)

aurelino costa(11)

baldo ramos(6)

bruno resende(5)

camila vardarac(9)

carlos drummond de andrade(5)

carlos vinagre(13)

cesario verde(4)

concha rousia(4)

cristina nery(5)

cruz martinez(9)

daniel filipe(5)

daniel maia - pinto rodrigues(4)

david mourão-ferreira(6)

elvira riveiro(8)

emma couceiro(4)

estibaliz espinosa(7)

eugenio de andrade(8)

eva mendez doroxo(8)

fatima vale(10)

fernando assis pacheco(4)

fernando pessoa(5)

fiamma hasse pais brandão(5)

florbela espanca(7)

gastão cruz(5)

helder moura pereira(4)

ines lourenço(6)

iolanda aldrei(4)

jaime rocha(5)

joana espain(10)

joaquim pessoa(4)

jorge sousa braga(6)

jose afonso(5)

jose carlos soares(4)

jose gomes ferreira(4)

jose luis peixoto(4)

jose regio(4)

jose tolentino mendonça(4)

jussara salazar(6)

luis de camoes(5)

luisa villalta(4)

luiza neto jorge(4)

maite dono(5)

manolo pipas(6)

manuel alegre(6)

manuel antonio pina(8)

maria alberta meneres(5)

maria do rosario pedreira(5)

maria estela guedes(7)

maria lado(6)

maria teresa horta(5)

marilia miranda lopes(4)

mario cesariny(5)

mia couto(8)

miguel torga(4)

nuno judice(8)

olga novo(17)

pedro ludgero(7)

pedro mexia(5)

pedro tamen(4)

raquel lanseros(9)

roberta tostes daniel(4)

rosa enriquez(6)

rosa martinez vilas(8)

rosalia de castro(6)

rui pires cabral(5)

sophia mello breyner andressen(7)

suzana guimaraens(5)

sylvia beirute(11)

tiago araujo(5)

valter hugo mae(5)

vasco graça moura(6)

virgilio liquito(5)

x. m. vila ribadomar(6)

yolanda castaño(10)

todas as tags

links
leitores
pesquisar
 
visitas
Free counter and web stats
blogs SAPO
subscrever feeds