Quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012
última função

 

Tudo da boca

me sai em borboletas. Vão

 

pousar

nos versos que deixaste

abertos na estrada. Além

 

o mar aqui

a neve, os remos resistindo

aos paradoxos. Tudo

 

me sai pesado

ou tece

agora por seus pés

 

substantivos.

 

(a Fiama Hasse Pais Brandão)

 

***

 

josé carlos soares

 

*

 

 


lido em: http://incomunidade.home.sapo.pt/incomunidade_02.htm

publicado por carlossilva às 11:26
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012
hoxe non sinto nada, asfíxiome

 

Hoxe non sinto nada, asfíxiome

Arrastro o corpo polo duro chan

e non sinto nada, asfíxiome.

 

Podo arrincar a pel do peito coas unllas,

separar a carne ata deixar as brancas costelas

o descuberto, fendelas, quebralas,

 

ata tocar coas mans os foles baleiros que son

os meus pulmóns e aínda así asfixiarme

sen remedio!...

 

abafarme pola negativa pulmonar

de seguir traballando para este ser

tan innobre que son Eu.

 

***

 

fernando rodríguez carpizo

 

vigo, 1984

 

*


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 01:03
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012
poemas do mazapán

 


(sobre nenas e mazás)

I
coma nenas lembrando mazás e oráculos, enterrando
tabaco e lume ó pe dun banco, ó pen dun carballo que é
un banco
coma nenas de plastilina falando de ogros e inventando
contos no chan branco onde as setas e as marihuanas
viven unha república de cor verde e vagalumes
coma nenas feridas, que agora son mulleres que son
nenas
coma nenas con corpos picados polos cactus, cos pes de
terra

coma nós
ca memoria nos beizos e a risa na fala


II
aprendo a falar de novo, abraiada descrubro moitas
voces que
me eran descoñecidas e que chegaban a min con cheiro
lila e castañas
pero hoxe fálote a ti:
á das serpes na pel á da mazá no peito

III
esta obriga de medrar por todas partes, con píldoras e
pasta de arroz, con panos na cabeza e os nervos de
agulla
sei que algún día falarán as pedras das nosas teimas

IV
por ser quen eres, porque sí, bícote boneca de mazapán


***

 

eva cabo

 

 

 

*

 


lido em: http://incomunidade.home.sapo.pt/incomunidade_02.htm

publicado por carlossilva às 13:25
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 26 de Fevereiro de 2012
eu se que estás aí

 

Eu se qu estás aí

atrapada na vertixe que íspe ao medo,

corazón de lume que non se avén a vivir sen gaiola,

amazona de fonduras que non existen.

Estás aí.

Entre dunas que fumean soidade

e recordos que conxelan as veas, escoitando trompetas de silencio,

coma se o tempo fose un reloxo parado

e o mundo aínda permanecese quieto

sobre o eixo invisible dunha estada.

Estás aí,

ancorada nunha taquicardia lenta

de ánfora cineraria,

malgastando féretros de angustia

e sepulcros de tristeza,

vendo discorrer a vida

desde o ollo chosco dun ciprés enfermo.

 

Estás tan dentro do crepúsculo

que todo che parece noite

e as sombras míranche

coa ferruxe cega dunha vella caveira.

É tanta a feira de amargura

que che roe por dentro os ósos

que xa non quedan sotos baleiros,

no interior da medula,

para esconder as penas

e afogar a voz dos espectros.

 

Pero non penses que sempre será así,

con xeos que atravesan a tarde

e paxaros sen ás que non cantan.

Algún día sairá o sol para tí

coa súa risa bordada de amarelo infinito

e o verso azul dun horizonte novo

prendido no ollal da solapa.

 

***

 

fernando luis perez poza

 

pontevedra, 1958

 

*


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 19:20
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 25 de Fevereiro de 2012
o céu das gruas

 

Lázaro Inocêncio do Nascimento,

manobrador de gruas na auto-estrada

transmontana sai do túnel do Marão

para a negra luz do desemprego

e das carências em família. Manobrou

 

com perícia a cegonha de ferro no céu

da montanha, dialogou com Deus

e com os pássaros sociáveis; olhou

para o fundo de si e concluiu que na terra

ou nas nuvens a vida é sempre abismo

 

onde a altura é uma questão menor. Hoje

desceu de vez as escalas íngremes,

findou a concessão do troço e do capital,

agora está entregue a si que o mesmo é dizer

ao destino de ninguém. Lázaro

 

Nascimento diz que com esta descida

à terra morreu um pouco, e assim à terra

descerá definitivamente em tempo certo

sem estranheza de maior . Não carece

pois o Mestre o ressuscitar por mais

 

que alastre o pranto das irmãs

e os direitos da quadra. Na ferrugem

definitiva dos materiais o sinal perene

de que não vale a pena o esforço

de retirar os panos uma e outra vez.

 

***

 

fernando de castro branco

 

duas igrejas (miranda do douro), 1959

 

*


lido em: Publico

publicado por carlossilva às 13:20
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012
soño

 

Hai un espello no medio dunha habitación

pendurado do leito

cun aramios de espiños.

 

Hai un cadro en cada parde,

o mesmo cadro en cada parede

xirando

e,

ao mesmo tempo,

mudando as súas cores.

 

Hai un sofá onde unha muller dorme:

está espida,

está soñando,

movéndose con inquietude.

 

***

 

jaime moreda santamaría

 

ribadavia (ourense), 1973

 

*

 

 

 


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 01:07
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012
está no faiado, a carón daquel paraugas azul

 

Está no faiado, a carón daquel paraugas azul

O paraguas que figura na escena como unha vella gloria

alí, esvaéce enriba das páxinas

dunha banda deseñada doutro tempo

As pombas aniñam no oco aberto das súas costas

e el fica inerte no sólido chan de formigón

Maxinando que trespasa a fiestra de luz

A solaina aberta cara o norte e olla para algures

na procura da sintonía perdida

da imaxe fendida polo tempo

 

É inverno e nas lousas da xeada rúa

repta a poalla formando espellos

 

***

 

cruz martinez vilas

 

*


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 00:22
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012
a festa ainda não começara

 

"Volatilizaram-se as

Doidas quimeras,

Estoiram os "confetis".

Restam os despojos, cinzentos,

Com estes, pela velhice, farei deles

O meu vómito, a náusea, o asco

Que tenho pelo sentimento,

Emparedado dentro de mim."

 

***

 

virgílio liquito

 

*


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2012
salmodia

 

A balea constrúe o seu recinto

no mistério,

tabernáculo seminal

que alumeou as noites do silencio,

a violencia doméstica,

a fame e a conspiración.

A balea proxecta a bóveda dos soños

máis alá da miraxe,

no eco que atesoura a palabra primeira,

a inocencia do verbo,

unha salmodia anterior á luz.

 

***

 

francisco x fernández naval

 

ourense, 1956

 

*


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 12:09
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2012
faço-me a injúria de acreditar

 

Impõem os carris

Da noite ao leito da terra

 

Mas a esses que são o alimento

Das galés eu sigo

Com a minha raiva e as minhas cadeias.

 

Faço-me a injúria de acreditar 

E planto soldados em fila

Rumo ao sol.

 

Coração ânfora repetida

Regam os teus sonhos com absinto.

 

Oh meu cavalo dentro das nuvens

Um dia hás-de parar

Sobre o abismo divino

 

A crina às portas do céu.

 

***

 

henrique dória


lido em: dezaoito

publicado por carlossilva às 17:14
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
agenda
18 de abril 2013 19 de abril 2013
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14
15

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

fogo e água

pára-me de repente o pens...

si digo mar

infância

trapo de voz representa o...

nana para gatos a punto d...

sou uma coluna crematória

dois poemas

nacín vello de máis

uelen

arquivos

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

a m pires cabral(4)

adelia prado(5)

adilia lopes(8)

al berto(6)

alba mendez(4)

albano martins(4)

alberte moman(8)

alberto augusto miranda(9)

alexandre teixeira mendes(11)

alfonso lauzara martinez(8)

alice macedo campos(13)

alicia fernandez rodriguez(5)

almada negreiros(4)

amadeu ferreira(8)

ana luísa amaral(6)

ana marques gastao(4)

andre domingues(5)

andreia carvalho(4)

antonio barahona(5)

antonio cabral(5)

antonio gedeao(5)

antonio ramos rosa(7)

anxos romeo(4)

ary dos santos(5)

augusto gil(4)

augusto massi(4)

aurelino costa(11)

baldo ramos(6)

bruno resende(5)

camila vardarac(9)

carlos drummond de andrade(5)

carlos vinagre(13)

cesario verde(4)

concha rousia(4)

cristina nery(5)

cruz martinez(9)

daniel filipe(5)

daniel maia - pinto rodrigues(4)

david mourão-ferreira(6)

elvira riveiro(8)

emma couceiro(4)

estibaliz espinosa(7)

eugenio de andrade(8)

eva mendez doroxo(8)

fatima vale(10)

fernando assis pacheco(4)

fernando pessoa(5)

fiamma hasse pais brandão(5)

florbela espanca(7)

gastão cruz(5)

helder moura pereira(4)

ines lourenço(6)

iolanda aldrei(4)

jaime rocha(5)

joana espain(10)

joaquim pessoa(4)

jorge sousa braga(6)

jose afonso(5)

jose carlos soares(4)

jose gomes ferreira(4)

jose luis peixoto(4)

jose regio(4)

jose tolentino mendonça(4)

jussara salazar(6)

luis de camoes(5)

luisa villalta(4)

luiza neto jorge(4)

maite dono(5)

manolo pipas(6)

manuel alegre(6)

manuel antonio pina(8)

maria alberta meneres(5)

maria do rosario pedreira(5)

maria estela guedes(7)

maria lado(6)

maria teresa horta(5)

marilia miranda lopes(4)

mario cesariny(5)

mia couto(8)

miguel torga(4)

nuno judice(8)

olga novo(17)

pedro ludgero(7)

pedro mexia(5)

pedro tamen(4)

raquel lanseros(9)

roberta tostes daniel(4)

rosa enriquez(6)

rosa martinez vilas(8)

rosalia de castro(6)

rui pires cabral(5)

sophia mello breyner andressen(7)

suzana guimaraens(5)

sylvia beirute(11)

tiago araujo(5)

valter hugo mae(5)

vasco graça moura(6)

virgilio liquito(5)

x. m. vila ribadomar(6)

yolanda castaño(10)

todas as tags

links
leitores
pesquisar
 
visitas
Free counter and web stats
blogs SAPO
subscrever feeds